Finanças estratégicas da China?

August 25, 2011

E, por falar em “valor estratégico” das finanças, parece que a China procura meios de utilizar de modo mais proveitoso seus fundos soberanos. Mas parece que a confusão é grande. Ver a matéria publicada pelo professor Larry Catá Backer (Penn State University) sobre isto. Confira aqui.

A confusão aí, no entanto, não parece ser menor do que a que tem marcado algumas práticas bancárias descritas nos vídeos disponíveis aqui.

E o fundo soberano brasileiro? Sobre esse fundo, o professor Fernando Cardim (UFRJ) escreveu em 2009: “no presente, sua importância é muito restrita.”   A situação não parece ter mudado.

Advertisements

O valor estratégico das finanças ‘turbinadas’ e seu significado jurídico

December 10, 2010

Foi indicada neste blog a expansão da prática, nos mercados financeiros, conhecida como algorithmic trading e seu desenvolvimento na classe de operações de mercado chamada high frequency trading (HFT) (operações de alta frequência) — ver aqui.

Noticiando assunto conexo, o blog  DealBook, do jornal The New York Times, Read the rest of this entry »


Reforma financeira e direitos subjetivos: cenário de incertezas

October 10, 2010

Os direitos subjetivos hoje existem em estado de fluxo, pois seu conteúdo (de modo correlacionado com a efetiva fruição) depende de múltiplos fatores, muitos dos quais são internacionais (ver exemplos aqui e aqui). Dentre esses fatores é chave o modo como se organizam os mercados financeiros e as operações financeiras transfronteiriças.

A importância disso para a fruição de direitos subjetivos em praticamente todo o mundo é tão crucial que o Fundo Monetário Internacional (FMI) recentemente fez um alerta sobre a possibilidade de “explosão de protestos sociais” decorrente da crise econômica (ver aqui). Obviamente, O FMI tem consciência dessa relação entre o papel das finanças internacionais e a fruição de direitos, pelo menos desde que o então economista do Banco Mundial, Joseph Stiglitz, descreveu, em 2001 (incidentalmente, o ano em que foi agraciado com o Prêmio Nobel de Economia), os “quatro passos” para a danação das economias que seguissem o receituário de reformas pregadas pela instituição (ver aqui).

A relação entre “boas” finanças no plano internacional e a fruição de direitos no plano nacional é tão verdadeira que os protestos vieram: Read the rest of this entry »