Professores criticam a Análise Econômica do Direito (vídeo)

October 20, 2019

Durante algumas décadas após a II Guerra Mundial, desenvolveu-se a perspectiva jurídica sobre as relações entre direito e economia que se tornou conhecida como “Law and Economics” e cuja aplicação ganhou o nome de “Economic Analysis of Law”, traduzida em português como “Análise Econômica do Direito” (AED). Conforme mostrado na Introdução deste livro, a abordagem da AED desenvolveu-se durante algumas décadas da segunda metade do século XX, tornou-se uma espécie de marca registrada da Faculdade de Direito da Universidade de Chicago, ganhou muitos adeptos e recebeu as simpatias do Partido Republicano dos EUA.

Desde a década de 1980, a AED passou a ser criticada por autores que se interessaram em desenvolver uma abordagem rival, que recebeu o nome de Direito e Economia Comportamental. As preocupações acerca das relações entre direito e economia produziram ainda outras perspectivas, incluindo “Direito e Finanças”, “Direito e Desenvolvimento” e “Análise Jurídica da Política Econômica” (ver aqui, Introdução).

Em anos recentes, o que alguns economistas, a começar por Dani Rodrik, chamam de “hiperglobalização” motivou vários jovens professores de direito nos EUA a lançar o movimento “Law and Political Economy” (LPE). Não é preciso lembrar que a chamada “hipergobalização” — que aliás no Brasil passou a ser contestada desde as jornadas de 2013 — encontra complementos jurídicos em certas perspectivas já mencionadas. O movimento LPE faz parte de uma nova onda de reação e crítica a concepções sobre as relações entre direito e economia que se tornaram típicas das ideias jurídicas complementares e favorecedoras da hiperglobalização, que muitas vezes é associada ao chamado “neoliberalismo”, caracterizado com interessante exposição de seus processos formativos no já famoso livro Globalists, de Quinn Slobodian.

Um outro componente dessa nova onda reativa à hiperglobalização é a iniciativa batizada de “APPEAL”, a sigla para a Association for the Promotion of Political Economy and the Law, cuja página-web está disponível aqui.

Participantes da APPEAL, incluindo três profesores (Frank Pasquale, Jamee K. Moudud, Martha McClusky) e um advogado e ativista (Raul Carillo), produziram um vídeo curto (ver acima) no qual apresentam sinteticamente — mas de modo claro e didático — diversas críticas à Análise Econômica do Direito.

Read the rest of this entry »
Advertisements

Editor do NYT sustenta: Economistas têm favorecido os mais ricos

October 5, 2019

Para quem quiser ter contato com os termos nos quais vai se estruturando o debate público sobre o papel da economia como disciplina nos EUA (adquirindo a partir daí repercussões no resto do mundo), vale a pena ter ciência do livro de Binyamin Appelbaum, recentemente publicado com o título: The Economists’ Hour. Subtítulo: False Prophets, Free Markets, and the Fracture of Society. Appelbaum é do quadro de editores do jornal The New York Times.

O debate público sobre o modo como conceitos econômicos têm influenciado políticas públicas nos EUA — inclusive a “revolução” trazida com a disseminação do uso do cálculo de custo-benefício ao modo da Análise Econômica do Direito — está relacionado diretamente às discussões desenvolvidas no âmbito do GDES (ver amostra delas aqui).

Read the rest of this entry »

Direito à moradia no Brasil é tema tese de pesquisadora do GDES

July 27, 2019

No início de julho 2019 foi realizada, da Faculdade de Direito da UnB, a defesa da tese de doutorado em direito de Camilla Fernandes Moreira, pesquisadora do GDES. O título da tese é: “Direito à moradia: Um estudo do Programa Minha Casa, Minha Vida em Brasília sob a perspectiva da Análise Jurídica da Política Econômica”.

PMVMV image2a

No trabalho, Camilla contextualizou brevemente o problema da corrosão do direito à moradia como uma questão que tem adquirido uma dimensão global (ver mais informações sobre o assunto aqui) e discorreu sobre a literatura sociológica relacionada a discussões sobre o direito à cidade. Além disso, Camilla adotou a perspectiva da AJPE para analisar a efetividade do direito à moradia no Brasil sob o impacto do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV). Um dos resultados da pesquisa empírica realizada por Camilla foi a comprovação de que as regras do PMCMV tornam menos efetivo o direito à moradia de participantes do programa classificados na “Faixa 1” de renda (renda de 1 a 3 salários mínimos), que é a mais baixa dentre os atendidos pelo programa.

O resumo da tese é o seguinte:

Read the rest of this entry »

Estudantes na UFG-Jataí adotam AJPE para analisar impactos jurídicos de políticas públicas

July 26, 2019

Hugo Pena Ferreira (professor, UFG-Jataí) lecionou, em 2019-1, uma disciplina em que os alunos e alunas estudaram as relações entre o direito e as políticas públicas sob a ótica da Análise Jurídica da Política Econômica (AJPE). Vário(a)s estudantes produziram pesquisas sobre assuntos diversos e produziram banners para comunicar o trabalho feito. Abaixo, está o relato de prof. Hugo, com links para as imagens do banners, o(a)s leitore(a)s deste blog podem visualizar.

Estudantes de graduação da UFG-Jataí aplicam AJPE para elaboração de banners 

(por Hugo Luis Pena Ferreira)

Em 17 de julho de 2019 foi concluída a disciplina “Instrumentos quantitativos para avaliação de políticas públicas”, ofertada na modalidade de núcleo livre na Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí. A disciplina procurou desenvolver uma pedagogia na qual, ao analisar as políticas públicas, o(a)s estudantes fossem estimulado(a)s a tratar a efetividade de direitos de acordo com os conceitos e referenciais analíticos da AJPE (ver notícia anterior aqui).

A primeira parte da disciplina contou com seminários destinados a estabelecer o contato com as principais categorias e métodos da AJPE, com ênfase na Análise Posicional. A principal referência utilizada foi a obra “Análise Jurídica da Política Econômica: A Efetividade dos Direitos na Economia Global”, na qual puderam ser encontrados diversos exemplos de aplicação da metodologia proposta.

A parte final da disciplina consistiu em duas rodadas de apresentação de banners dedicados a ilustrar a aplicação da AJPE – e em especial a Análise Posicional – como meio de avaliar aspectos de políticas públicas selecionadas pelos(as) participantes. Da primeira para a segunda rodada, as propostas iniciais de banners passaram por reformas. Os banners resultantes tiveram temas bastante variados, como, por exemplo: 

  • “Análise da fruição empírica do direito à água nas unidades federativas brasileiras entre 2015 e 2017”, por Daniela Silva Amaral* (link)
  • “Análise jurídica do direito à permanência estudantil: Universidade Federal de Goiás – Regional Jataí, no ano de 2018” por Nélia Maria Fleury* e André Luiz de Rezende* Júnior (link)
  • “A fruição da igualdade de gênero e o teto de vidro dentro do Itamaraty em 2017, por Anna Luiza Prado Moura* (link)
  • “Violência contra a mulher em Goiás: análises de índices de fruição comparativos entre os anos de 2015 e 2016, por Carolina Augusta Barcelos de Andrade*, Esloane Gonçalves Rodrigues* e Isabella Trindade** (link)
  • “Análise da política econômica do Programa Minha Casa Minha Vida em Jataí-GO: Cidade Jardim II (2016)”, por Idonaldo Gomes Assis Filho* e Sara Menezes Maia* (link)
  • “Análise Jurídica da Política Econômica: avaliação da fruição do direito à educação básica brasileira no ano de 2016”, por Roberto Carlos Alves Gomes*** (link)
* estudante do curso de Direito - UFG/Jataí
** estudante do curso de História - UFG/Jataí
*** estudante do curso de Letras - UFG/Jataí

As análises representam a incorporação de novas ideias e métodos para avaliação de políticas públicas no âmbito da graduação. E exemplificam, ainda, as diversas possibilidades de aplicação da AJPE, e em particular da Análise Posicional, com grande variedade de estratégias de decomposição analítica, elaboração de IFE e definição de PVJ.  As contribuições dessas produções, embora em formato sucinto, podem servir de inspiração para juristas interessados(as) em novas metodologias empíricas para a avaliação da fruição direitos fundamentais e humanos correlatos a políticas públicas e à política econômica. 


Rede acadêmica do movimento NL&D faz novo evento

July 6, 2019

A rede de pesquisadores do movimento “New Law & Development” (NL&D), articulada e liderada por David Trubek, realizará em São Paulo, no início de agosto de 2019, mais um evento, com apoio de várias entidades de fomento e com endosso institucional da rede WINIR (World Interdisciplinary Network for Institutional Research). O título do evento é “Law and Development – New Institutional Approaches from the Global South”.

A rede NL&D tem realizado alguns eventos ao longo dos últimos anos, com esforço para envolver pesquisadores sobretudo do Brasil, mas também de outros países do Sul global. Desta vez, chamam atenção três novidades que constam da programação: 

Read the rest of this entry »

Processos econômicos perante o direito: abordagens empíricas no IX EPED

April 27, 2019

A Rede de Pesquisa Empírica em Direito (REED) publicou a chamada de trabalhos para o IX Encontro de Pesquisa Empírica em Direito (IX EPED), que ocorrerá em 05 a 08 de agosto de 2019 na Universidade Federal de São Paulo, na cidade de São Paulo.

Vários Grupos de Trabalho (GTs) foram aprovados para essa edição do EPED. A chamada de trabalhos está disponível AQUI.

Inúmeros temas são abrangidos na programação dos GTs, desde o acesso à justiça, o direito ambiental, questões antropológicas, regulação, gênero, direito à cidade, direito internacional, até o direito sanitário, discussões sobre metodologia, dentre vários outros.

A temática “GT 17 Direito, Economia e Sociedade”, coordenado pelos professores Iagê Zendron Miola (Unifesp), Marcus Faro de Castro (UnB) e Marco Chein Feres (UFJF), certamente interessará aos pesquisadores debruçados sobre assuntos que dizem respeito a interfaces entre os variados processos econômicos o direito em geral. Conforme destacado na respectiva ementa (ver aqui, p. 15-16), o GT 17 está interessado em


“trabalhos jurídicos, econômicos ou em intersecção com outras áreas correlatas (como a sociologia econômica, os estudos sociojurídicos, a economia política, a antropologia econômica e do direito, a ciência política e a estatística) que explorem abordagens empíricas diversas (quantitativas e qualitativas) ou que realizem reflexões de natureza metodológica sobre as imbricações entre fenômenos jurídicos, econômicos e as relações sociais”.

O prazo para a submissão de resumos é o dia 12 de maio de 2019 foi prorrogado. O novo prazo é o dia 19 de maio de 2019. O link para submissão dos resumos é este AQUI.

O GDES encoraja a todos os seus membros e demais pesquisadores interessados na temática do GT 17 do IX EPED a apresentar suas propostas conforme instruções acima.


Novo movimento (EfIP) defende mudanças no pensamento econômico e na profissão dos economistas

April 20, 2019

Uma rede de economistas bem qualificados academicamente lançou recentemente um movimento em favor de mudanças no pensamento econômico, objetivando encorajar, também, mudanças efetivas na maneira como a profissão dos economistas se organiza no mundo hoje. O nome do movimento é: Economics for Inclusive Prosperity (EfIP) (Economia para a Prosperidade Inclusiva).  O website do movimento está disponível –>AQUI.

O movimento nasce com um novo livro (uma coletânea de “policy briefs”) intitulado Economics for Inclusive Prosperity: An Introduction. O livro está disponível em pdf aqui. O EfIP se projetou também por meio de uma série artigos publicados na Boston Review. O primeiro artigo, de 15-fev.-2019, pode ser acessado aqui (os demais artigos da série podem ser pesquisados por leitores na mesma revista).

Recentemente, um dos líderes do movimento, o economista Dani Rodrik, da Universidade de Harvard, deu uma entrevista a Rob Johnson, do Institute for New Economic Thinking. O vídeo da entrevista está disponível abaixo.

Na entrevista, Rodrik aborda vários aspectos, ideias e preocupações do movimento EfIP, entre os quais:

Read the rest of this entry »